FIM une-se à FIA e passa a exigir painéis luminosos nos circuitos de MotoGP em 2022

FIM une-se à FIA e passa a exigir painéis luminosos nos circuitos de MotoGP em 2022

A partir de 2022, todos os circuitos que recebem o Mundial de MotoGP e Fórmula 1 terão de ter painéis luminosos que servem para transmitir informações aos pilotos.

O MotoGP contará como uma mudança importante em termos de segurança a partir da temporada 2022. A FIM (Federação Internacional de Motociclismo) anunciou uma parceria com a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para garantir que os painéis luminosos de alta tecnologia sejam obrigatórios nos circuitos que recebem o Mundial de Velocidade e a Fórmula 1. A partir do ano seguinte, 2023, será obrigatório também em traçados que recebam os Mundiais de Superbike e Resistência.

sexta manha 3

“Estes painéis luminosos podem ser operados pela direção de prova ou por fiscais na berma da pista e são usados tradicionalmente para exibir informações cruciais aos pilotos, incluindo informações relacionadas às bandeiras, clima e safety-car”, explicou a FIM em nota.

Por determinação, os circuitos de grau 1 da FIA que compõem o calendário da F1 terão de instalar painéis na especificação T1, quanto que os traçados nos calendários de MotoGP, WSBK, e Resistência podem usar T1 ou T2. A FIA vai exigir painéis T2 para o Mundial de Resistência a partir de 2023 e T4 para os demais traçados que recebem categoria FIA a partir de 2024.

Estes painéis serão submetidos a testes rigorosos no laboratório do Instituto Federal de Metrologia, na Suíça, onde serão examinados em condições variadas, incluindo chuva e luz solar direta”, explicou a FIM.

567h

Franck Vayssié, diretor da Comissão de Circuitos da FIM, celebrou a colaboração entre as duas entidades.

A FIM e a FIA partilham laços fortes em termos de segurança e essa colaboração fortalece-os ainda mais”, comentou Vayssié. “Tornar estes painéis luminosos obrigatórios para os circuitos FIM que recebem o MotoGP, Superbike e Mundial de Resistência vai ajudar a garantir o mais alto nível de segurança para todas as categorias que correm nestas pistas de alto nível”, completou.

Diretor de segurança de pista e de rali da FIM, Stuart Robertson destacou que a parceria facilita o acesso às mais modernas tecnologias de segurança.

Este é outro passo importante na colaboração entre a FIA e a FIM em termos de segurança de circuito. Isto vai garantir que todos os campeonatos que correm nesses circuitos possam ter acesso às mais modernas inovações de segurança”, encerrou.