Superbikes: Rinaldi ficou sem travões em Jerez a 250 km/h (Vídeo)

Superbikes: Rinaldi ficou sem travões em Jerez a 250 km/h (Vídeo)

O Campeonato Mundial de Superbike volta à ação e um dos protagonistas do dia foi Michael Ruben Rinaldi. O piloto italiano foi o mais rápido da segunda sessão de treinos livres da ronda espanhola, realizada no circuito de Jerez – Ángel Nieto.

O dia não foi inteiramente fácil para Rinaldi ao regressar aos circuitos após um intervalo forçado pela pandemia. O piloto italiano passou de menos para mais no primeiro dia após mostrar um ritmo competitivo. No entanto, ele marcou uma das imagens de hoje quando foi forçado a sair da Ducati em andamento.

O piloto italiano compareceu ao GPOne e admitiu que foi um momento difícil, pois ele ficou sem travões na curva Dani Pedrosa e foi forçado a sair da moto antes de bater nas proteções: “Eu tive um problema com os travões, travei, mas não deu nada, por isso decidi sair da moto, porque se eu tivesse ficado sem travão na parte final, poderia ter sido muito perigoso, um pouco como o que aconteceu com Rins no MotoGP ”.

Por seu lado, na equipa oficial Aruba.it Racing, eles tiveram um dia um tanto desfocado, algo que não preocupa excessivamente o italiano, pois certamente trabalhou na montagem e experimentou novas peças: “Ducati Aruba sem surpresa . Eles estão a trabalhar para a corrida e talvez a tentarem alguns novos recursos. Scott e Chaz são muito rápidos, mas tenho que me concentrar. Esta tarde fui para a pista convencido de que posso sair-me bem”.

Olhando para a corrida, o piloto italiano indicou que será importante saber como administrar a corrida desde o início, já que as altas temperaturas desempenharão um papel essencial durante as 20 voltas: “Está muito quente e fazer 20 voltas nestas condições será realmente difícil. Tenho que trabalhar no ritmo, porque Rea e Redding são realmente fortes nestas condições, amanhã tentarei dar um passo adiante”.

Por fim, o piloto da GoEleven destacou que a sua confiança na moto melhorou significativamente graças à quilometragem adquirida no dia de hoje, algo importante para concluir a adaptação à Panigale V4 R: “Na Austrália, eu não tinha percorrido quilómetros suficientes com a moto e cometi erros no fim de semana. Hoje tenho mais alguns quilómetros nas costas, estou a trabalhar bem com esta equipa “, concluiu Rinaldi.