Como evitar a sobrecarga nas baterias das motos

Tecnologia incorporada nas motos pode causar problemas de sobrecarga da bateria, caso sejam instalados de forma incorreta. A Heliar, marca premium de baterias, deixa alguns conselhos para evitar o desequilíbrio elétrico.

As motos, à semelhança dos automóveis, estão cada vez mais dotadas de tecnologia. Contudo, se os equipamentos eletrónicos forem instalados de forma incorreta, tal poderá causar uma sobrecarga da bateria. Para evitar esse problema, a Heliar, deixa alguns conselhos para otimizar o uso do armazenador de energia e evitar o desequilíbrio elétrico.

As novas tecnologias instaladas nas motos têm inundado o mercado dos equipamentos eletrónicos: sistemas GPS, ligação com smartphones, conectividade com câmaras, entre outros. Todos estes dispositivos fazem com que a procura de energia aumente, podendo criar sobrecargas à bateria se tiverem sido instalados incorretamente. A vida útil das baterias de motos pode durar entre um ano e três anos, variando segundo a qualidade do seu fabrico. Ou seja, a forma de utilização fará toda a diferença.

Para ajudar os motociclistas a utilizarem melhor a bateria, o coordenador de assistência técnica da Heliar, Adelmo Leite, partilhou várias dicas para evitar estas situações.

Errado: instalar equipamentos eletrónicos que não sejam originais de fábrica, como alarmes, faróis mais potentes e caixas de som, sem fazer a adequação do sistema elétrico.

Certo: consultar um técnico eletricista que ajustará as novas demandas de energia, fazendo com que a vida útil da bateria não seja afetada.

Errado: virar a chave de ignição da moto enquanto o veículo estiver parado, sem dar a partida. Isso faz o farol acender-se e poderá esgotar a capacidade da bateria.

Certo: virar a chave de ignição apenas quando for realmente ligar o motor e utilizar a moto. A energia utilizada para o arranque já ajuda a bateria a iniciar o processo de recarregamento.

Errado: deixar a moto parada por mais de cinco dias, por exemplo. Sem caso de desuso, poderá haver um descarregamento de energia e isso reduz a vida útil da bateria.

Certo: andar com a moto, pelo menos, cinco quilómetros por dia (ou durante meia hora a cada semana). Isso ajuda no carregamento da energia da bateria, mantendo a sua vida útil.

Errado: conduzir com o pé apoiado no pedal de travão. Isso faz com que a luz de travão acenda com frequência, desperdiçando cargas de energia da bateria.

Certo: conduzir com os pés no local de apoio apropriado, para evitar o uso da energia da bateria sem real necessidade.

Todo o consumo de energia da moto recai na bateria. “Por isso, ao seguir cuidados específicos, como fazer manutenções técnicas no veículo periodicamente, pode auxiliar para que a bateria funcione corretamente por mais tempo”, explica o técnico da Heliar.