Kawasaki Vulcan vai ganhar motor de desportiva

No Japão mostram a possibilidade de o motor da H2 ir parar à custom como forma de expansão da gama.

A Kawasaki Vulcan é um modelo que é oferecido apenas com um motor bicilíndrico de 649 cc com refrigeração liquida. Os seus 61 cv limitam a sua atuação à categoria de média cilindrada.

Globalmente, é sabido que ter apenas uma moto com quadro e motor próprios deixa os custos altos e a Vulcan é um exemplo disso. Assim sendo, a Kawasaki quer expandir a linha Vulcan globalmente utilizando um motor já existente. Só que a novidade pode sair melhor que a encomenda.

Segundo a revista japonesa YoungMachine, um dos planos que a Kawasaki está a contemplar para a expansão da linha Vulcan é a instalação na custom do motor da super desportiva Ninja H2 que, nesta aplicação, entrega até 243 cv. Mas o propulsor é versátil, podendo gerar 210 cv na sport touring Ninja HS SX SE+ ou 200 cv na naked Z H2.

Um dos segredos da elasticidade deste propulsor é a adoção de um compressor mecânico para sobrealimentar o motor, fazendo com o que o quatro cilindros em linha de 998 cc consiga ter variadas entregas de potência e binário, dependendo da aplicação. Numa custom, por exemplo, é preferível binário em baixas rotações do que pico de potência.

Mesmo a pensar num número baixo de potência para priorizar o binário, cerca de 180 cv já seriam o suficiente para colocar esta nova Kawasaki Vulcan “H2” dentro do nicho do mercado das Power Cruisers, segmento de motos com visual custom e potência de sobra.

Assim, já poderá fazer frente com modelos como a Triumph Rocket 3 R (167 cv) e a Ducati Diavel S (152 cv).